Batalha de Argumentos

Como falamos nos posts anteriores, em nossas primeiras duas semanas de jogo começamos a monitorar os resultados alcançados, entre engajamento dos alunos e envolvimento dos professores. Conversamos via Whatsapp em chats privados com alguns deles e identificamos que era preciso promover maior imersão e interação entre o jogo e os participantes. Pensando nisso, propomos a realização da Batalha de Argumentos, quando os guerreiros e as guerreiras de Cân enfrentariam o próprio Morgon. 

A batalha funcionou pelo Google Meet, chamado de “Campo de Meet”, e foi agendada para o dia 30.09.20. Essa seria uma ação diferente do que fizemos antes, visto que as Guarnições teriam uma participação mais direta, lançando argumentos e contra-argumentos “ao vivo”. Até então, as interações com Morgon se limitavam a invasões em aulas, mas sem interação com o vilão. Para convocar a batalha, primeiro enviamos um áudio de Morgon (usando sua voz modificada por sintetizador) provocando os humanos: 

 

Humanos, sua natureza é finita. Acabou o tempo da esperança desordenada. Seus corpos e mentes estão condenados a perecerem presos a esse tempo e espaço, limitados a sua própria insignificância perante o Universo. Sua insistência é irritante. Parem de lutar. 

 

Depois desse áudio provocador, o Conselho de Cân precisava tomar uma atitude! As Guarnições de Cân foram convocadas com esta mensagem:

 

 

O Conselho Superior de Cân convoca todas as Guarnições para enfrentar Morgon em uma Batalha de Argumentos. Ele invadiu nossas redes e está se fortalecendo. Não podemos mais adiar este confronto. As forças da morgação não podem continuar se espalhando e dominando as mentes humanas. Morgon usa como arma suas palavras de desprezo e inferiorização dos inimigos. Em contrapartida, nossos argumentos de esperança, força e união podem enfraquecê-lo. Nossos mensageiros já voltaram e a Batalha de Argumentos está marcada. Será nesta quarta-feira, 30.09, às 17h, no campo de Meet: meet.google.com/nqx-vget-jfp . Guarnições, preparem seus argumentos participando hoje do encontro com o mestre Salomão Costa às 19h. A força está em nós!

 

A ideia central era que, a cada vez que Morgon fosse devidamente refutado pelas Guarnições, uma de suas línguas seria destruída – sendo um total de 4 línguas. Após todas serem destruídas, Morgon seria derrotado e escaparia do Meet. Qualquer aluno teria liberdade para abrir o microfone a qualquer momento e rebater as ideias de morgação proferidas por Morgon.

Reaproveitamos o vídeo em loop utilizado na primeira invasão de Morgon às aulas e o transformamos num novo clipe interativo, usando das funções do YouTube de adiantar e atrasar o vídeo de acordo com a porcentagem passada, usando das teclas numéricas do teclado. O vídeo consiste em Morgon – em seu ambiente habitual de dados binários – tendo suas línguas destruídas à medida que o tempo passa. Como detemos o controle sobre o progresso do vídeo (usando as teclas numéricas), temos o controle sobre o momento exato em que cada uma das línguas seria destruída. 

Língua direita de Morgon prestes a ser destruída.

 

Para construção dos argumentos de Morgon, que traria sua mensagem de morgação, uma preocupação da equipe multiHlab foi não utilizar palavras ou ideias que poderiam acionar gatilhos emocionais prejudiciais aos participantes. Assim, para nossa preparação, assistimos à Live Desafios psicológicos, educacionais e profissionais pós-pandemia, promovida pela própria escola, realizada no dia 28.09 com o psicólogo clínico Salomão Costa. Mais instruídos, nos reunimos no dia 29 para a devida formulação dos argumentos a serem usados no dia 30. Optamos por utilizar argumentos que, embora negativos, incentivariam a atuação das Guarnições na Batalha, assim como reforçaria seu engajamento em derrotar Morgon. Evitamos ideias que levassem para um lado realista-pessimista demais em relação à vida e os imergisse na narrativa do jogo.

 

Chegou a hora da Batalha. Tivemos um ápice de 42 pessoas na sala do Google Meet, incluindo Morgon e os Oráculos. A Oráculo Magenta (coordenadora do multiHlab) inicia o diálogo, apresenta as regras do debate e Morgon faz sua apresentação. De início, houve relutância por parte dos estudantes para abrirem seus microfones e atuarem ativamente no debate, mas, com ajuda das professoras presentes, alguns logo se pronunciaram e a conversa foi se desenvolvendo. Morgon com seus argumentos de morgação, os alunos com seus contra-argumentos de positividade. Como os estudantes usaram mais o chat do que os microfones, os argumentos escritos também foram considerados e Morgon foi derrotado. 

 

O que aprendemos:

 

Conseguimos informações valiosas com a realização da Batalha. Em primeiro lugar, um de nossos medos foi confirmado: ainda temos um baixo engajamento dos alunos com o projeto (que também se atesta de acordo com a baixa pontuação nos Desafios das Guarnições). Em segundo lugar, descobrimos que os participantes não estavam necessariamente abalados com a situação criada pela pandemia, afirmando que, mesmo em casa, estavam felizes e unidos. Em terceiro e último lugar, precisamos nos aproximar ainda mais dos estudantes e criar espaços de fala para buscarmos novos insights de como podemos alcançar um maior interesse deles em participar das atividades do jogo. Vamos observar os efeitos que a Batalha contra Morgon possa ter tido sobre os participantes.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>