Mergulhando na Narrativa!

A equipe do multiHlab foi recebendo os desafios enviados pelos professores aos poucos. Os de matemática e inglês foram os primeiros entregues e já chamaram nossa atenção por estarem bastante contextualizados na narrativa do jogo. Ficamos muito felizes com a rápida adesão dos professores a proposta do projeto. À medida que os desafios iam chegando por e-mail, íamos agrupando em uma pasta no drive do laboratório. Após as entregas encerrarem, começamos a trabalhar na adaptação. 

Eu precisei tirar dois dias para ler cada um dos desafios de todas as turmas. Ainda cheguei a  construir uma tabela para reunir informações resumidas sobre cada um para facilitar a visualização de como seria utilizado o que cada professor pede,  em uma linha de raciocínio que conectasse cada desafio. Mas confesso que foi um processo bem difícil. Primeiro, dividimos uma quantidade de desafios para cada membro da equipe adaptar à narrativa. Apesar de alguns terem sido entregues já contextualizados, muitos precisaram se adequar a narrativa do game. Para que cada desafio entrasse na narrativa, criamos textos introdutórios para cada enunciado, citando, basicamente,  a três informações da história:  fragmentação de Kommunonía, o roubo da Ametista e a introdução do vilão, Morgon – Espectro da Morgação. Já havíamos definido que o primeiro espectro a ser enfrentado seria Morgon, sendo o objetivo da Fase 1 derrotá-lo e recuperar a sub-gema Ametista.

Após cada um adaptar os enunciados dos desafios que lhe foram designados, nos reunimos para criar a linha de raciocínio que os ligaria, formando assim uma jornada, o caminho que as Guarnições iriam percorrer para vencer os desafios desta fase. Ou seja, um enredo. Com os desafios reescritos  e adaptados, criamos uma nova pasta para reuni-los. 

Após um estudo prévio da tabela e uma análise minuciosa dos desafios reescritos (com centenas de abas abertas ao mesmo tempo no computador, saindo de um documento para o outro, comparando-os), comecei a fazer um mapeamento de algumas características que fui percebendo nos enunciados reescritos em cada desafio: 

  • Exploração/reconhecimento espacial  do território inimigo: Matemática/ Geografia
  • Motivação + Conhecimento da natureza e da realidade humana: línguas (português, espanhol e inglês)
  • Linha do tempo da realidade humana: História
  • Ameaça: Biologia
  • Ação/Planejamento: Filosofia  

Com base nessas identificações, nos reunimos novamente para refinar o enredo. Discutimos vários tópicos de início: 

  • Para termos um fio condutor do enredo, decidimos onde os espectros atuam e onde será alocada cada fase. Ficou combinado que Morgon atuará na Terra, nos territórios antigos da América, levantando assim curiosidades e conhecimentos sobre o nosso continente. Weaken atuará em outros planetas fora do sistema solar, em outras galáxias – os exoplanetas. E Isol atuará em outros pontos do universo: buracos negros e buracos de minhoca – dessa forma, aumentamos a complexidade dos níveis também em suas localidades no mapa do jogo. É importante destacar aqui que todas essas ideias foram projeções realizadas para nos ajudar. Estamos conscientes que é possível durante o processo adaptá-las, pois dependemos muito do que os professores vão abordar – o que pode limitar a narrativa ao ambiente terrestre. 

 

  •  Decidimos também começar a narrativa dos desafios da Fase 1 a partir da contextualização do desafio de matemática e seguir com o de geografia,  já que nos inspiramos com a ideia das Guarnições começarem o jogo já localizadas próximas da base de Morgon no planeta Terra.


Dessa forma, foram criados 3 novos documentos no Drive: em cada um reunimos todos os desafios de uma série – Narrativa dos desafios do 1 ano/2 ano/ 3 ano. Com isso, percebemos que a introdução reescrita de cada desafio estava praticamente igual, ou seja, se a ideia era um enredo, existia muita informação repetida. Assim, decidimos usar o ponto de partida escolhido – desafios de reconhecimento espacial para começarmos a resumir os enunciados, conectando cada desafio. Fomos nos guiando pela sequência de características citadas anteriormente na tentativa de fazer as Guarnições de Cân seguirem a seguinte sequência: 

 

  1. Explorarem o terreno estrategicamente para descobrirem a localização de Morgon e identificarem seus pontos fracos. 
  2. Para se prepararem para o enfrentamento, fortalecem o corpo e a mente dos integrantes das Guarnições de Cân.
  3. Identificam os elementos presentes no planeta que poderão ajudar no desenvolvimento de armas contra a Morgação.

A linha de raciocínio foi reproduzida no conjunto de desafios de cada série, sofrendo adaptações conforme o que era exigido em cada enunciado, o que levou o desafio dos 2º anos a começar com o de português ao invés de matemática, por exemplo, porém os elementos narrativos utilizados são pontos em comum das trilhas criadas para cada série. 

Foi criado também um enredo-guia para a Fase 1 a partir da evolução do enredo original:

 FASE 1 – Enfrentar Morgan e recuperar a sub-gema Ametista.

 

Enredo Fase 1: Todas as Guarnições Siderais foram convocadas e elas já chegaram na Terra. As Guarnições de Cân, ao entrarem na Arena de Desafio, irão explorar o terreno estrategicamente para descobrirem a localização de Morgon e identificarem seus pontos fracos. Para se prepararem para o enfrentamento, fortalecem o corpo e a mente dos integrantes das Guarnições de Cân e identificam os elementos presentes no planeta que poderão ajudar no desenvolvimento de armas contra a Morgação. Chega o grande dia, a Batalha Argumentativa contra Morgon, quando todos os integrantes de Cân apresentarão seus contra-argumentos capazes de destruir as energias de Morgon. Será que eles vencerão a batalha e recuperarão a Ametista? 

Os desafios reescritos agora seguindo a trilha de cada série (1º anos, 2º anos e 3º anos), após sofrerem a adaptação conectiva do enredo, foram organizados em sequência cronológica de postagem no Google Sala de Aula, com suas respectivas datas indicadas.Ao longo do processo de adaptação nos preocupamos também em contextualizar os personagens de cada professor nos enunciados, os chamados mentores das missões. Alguns professores ainda não tinham desenvolvido bem seus personagens e, nessa parte do processo, a equipe multiHlab ajudou a construir propostas sólidas para todos os participantes.

  Temos, agora, um enredo para a Fase 1, três trilhas de desafios (uma por série) e um cronograma para o Google Sala de Aula (um desafio novo todas as segundas, quartas e sextas). Mas esse conteúdo será apresentado ao alunos apenas como texto escrito, no campo de “Instruções” do sistema? Assim fica muito chato. É preciso provocar maior imersão na nossa história. Pensar em um padrão gráfico para os desafios. Pensar rápido…

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>