Pinktips Aula: canal Leitura ObrigaHistória

O Leitura ObrigaHISTÓRIA surgiu como um canal no YouTube criado em agosto de 2015, por Icles Rodrigues, historiador e mestre em História pela Universidade Federal de Santa Catarina, dedicado a compartilhar conhecimento histórico, focado especialmente em dicas de leitura tanto para estudantes e professores da área quanto para o público geral.

O canal conta também com quadros apresentados por Luanna Jales, historiadora pela UFSC, e Mariane Pisani, antropóloga, com doutorado na mesma área pela Universidade de São Paulo e professora da Universidade Federal do Tocantins.

Em 2019 surgiu o História FM, podcast do canal apresentado por Icles Rodrigues, que busca trazer acadêmicos de Ciências Humanas (especialmente História) para conversar sobre temas pertinentes ao estudiosos e entusiastas da disciplina.

Em 2020 o Leitura ObrigaHISTÓRIA se consolidou como um selo de produção de podcasts de Ciências Humanas, adicionando ao seu plantel os podcasts História Noturna, Colunas de Hércules e Estação Brasil.

Para saber mais, acesse o site : https://leituraobrigahistoria.com/ 

Vídeos sobre diversos assuntos como racismo, anarquismo, dentre outros, disponíveis no canal do YouTube: https://www.youtube.com/results?search_query=leitura+obrigahist%C3%B3ria 

 

#multiHlab #midialab #fundaj #história #cienciassociais #podcasts #vídeos #youtube 

Pinktips Aula: Literatura Negra

O pensamento social brasileiro deve muito às obras de grandes autores negros e negras. No entanto, a produção de intelectuais afrodescendentes não é tema recorrente de destaque. Desde o dia 11 de maio, o Centro de Pesquisa e Formação do Sesc liberou no Youtube vídeo-aulas do ciclo Intérpretes “Negras (os) do Brasil”, realizado no ano passado com grandes pesquisadores e escritores negros analisando a vida e a obra de ícones da literatura negra.

Na primeira vídeo-aula, a professora de Letras Lígia Fonseca Ferreira, com doutorado na universidade francesa de Sorbonne, fala sobre o advogado, escritor e jornalista abolicionista Luiz Gama.

A pesquisadora Fernanda Miranda abordou sobre a escritora Maria Firmina dos Reis. O sociólogo Matheus Gato falou da obra do intelectual Nascimento Moraes.

A biografia, a obra e o pensamento crítico do premiado geógrafo Milton Santos são analisados por Billy Malaquias, mestre em geografia.

As vídeo-aulas têm duração entre 15 e 30 minutos e estão disponíveis neste endereço: https://www.youtube.com/playlist?list=PLVx7TZKwHUi_i7aXoIJhWZAkc-ffNgnGj 

#multiHlab #midalab #fundaj #literatura #obras 

Pinktips Aula: curso Vilarejo

Devido a grande de dificuldade que muitos educandos estão tendo em se preparar para o ENEM por causa da pandemia, o curso Vilarejo tem como objetivo disponibilizar conteúdo gratuito de preparação para vestibular no youtube.

A equipe conta com professores das mais diversas disciplinas e fará a aula inaugural amanhã, 20/06/20, na plataforma online.

Para ter acesso ao curso, você precisa preencher o formulário que está, dentre outras informações, disponível nos posts da página do curso no Facebook. 

Acesse o link da aula inaugual: https://www.youtube.com/watch?v=5T_Jsmg2uLo&fbclid=IwAR2G57SBC4Y7F8fIUEJgxEcMdxGLlau5ZAGw7yJDn1YrZ-DrO2ffrS7zN-E  

#multiHlab #midialab #fundaj #enem #preparatorio #vestibular

Pinktips Socio: documentário Tela Preta

Tela preta é um documentário pernambucano independente, do ano de 2019, dirigido por Renata Ramos com produção de Elizabeth Luz. Com 12 minutos de duração, a obra é baseada em entrevistas com pessoas negras de Pernambuco que compõem a área do audiovisual e refletem sobre a presença e representação de pessoas negras no Cinema Pernambuco e mundial, apresentando limitações e possibilidades de mudança.

A partir desta produção podemos pensar conceitos como identidade e representações sociais do negro no país. No Brasil, mais da metade de sua população se autodeclara como negra, mas ainda assim as produções de cinema e televisão possuem poucas pessoas com estes traços em papéis principais, além de relegar aos homens e mulheres negras quase sempre lugares de prostituição, violência, futebol ou trabalhos com baixa remuneração.

Os impactos que essa forma de retratar as populações de cor no país geram no imaginário nacional são nocivas, pois reforçam estereótipos e geram representações sociais que naturalizam a desvantagem entre brancos e negros. Com Tela Preta podemos levantar nos espaços educativos formais e não formais uma discussão que pretende questionar essa característica branqueada da indústria audiovisual. Podemos, assim, pensar novas formas de representação das pessoas não brancas e como jovens negros gostariam de ver suas próprias identidades representadas nas telinhas e telonas. Pensar uma nova estética negra que não se resume ao feio, cômico e violento é parte fundamental para os caminhos e luta contra o racismo estrutural.

Você encontra o documentário em: https://www.youtube.com/watch?v=Q5BIEfJFAsA 

#multiHlab #midialab #fundaj #documentário #cinemaindependente #telapreta #filmes #sociologia #ciênciassociais

Pinktips Socio: entrevista com Mano Brown

Mano Brown, um dos maiores nomes do Rap no Brasil, considerado um dos fundadores do Hip Hop nacional, cantor líder do grupo Racionais Mcs, primeiro grupo de Rap do país a vender mais de 1 milhão de cópias de um disco ( Sobrevivendo no Inferno, 1997), concedeu ao jornal francês Le Monde Diplomatic Brasil uma entrevista gravada no bairro do Capão Redondo, periferia de São Paulo, local de surgimento do grupo e um dos lugares mais violentos do país nos anos 1990.

A entrevista, que foi realizada no ano de 2018, aborda diversos temas com o artista, como as transformações que o bairro passou em três décadas, questões sobre a juventude negra das periferias do país, vulnerabilidade social, arte, política e sociedade no Brasil de 2018.

O movimento Hip Hop, todo o seu conjunto de produções artísticas, identidades e ideias não possuem limitação etária, mas o estilo tem sido associado a culturas juvenis. A partir dessa entrevista podemos pensar conceitos como vulnerabilidade juvenil, a violência que, em nosso país, tem uma correlação com as populações jovens e negras. Na segunda década dos anos 2000 no Nordeste, o tema da violência e juventude negra é urgente, seja no campo da pesquisa acadêmica em Sociologia ou nos processos educativos. Nossa região se tornou o foco da dinâmica de violência letal no país nesse início do século XXI e compreender os condicionantes sociais desta questão, bem como pensar estratégias para superação, estão na ordem do dia.

Ainda podemos debater a partir do conteúdo desta entrevista questões relacionadas aos serviços públicos do Estado e como a juventude pode se engajar em suas comunidades na cobrança e fiscalização das ações dos governos que podem contribuir para a redução das Vulnerabilidades Sociais.

 
Acesse a entrevista:  https://www.youtube.com/watch?v=gMT9cXizDYQ

#multiHlab #midialab #fundaj #entrevista #manobrown #rap #rapnacional #vulnerabilidadesocial #violência #nordeste

Pinktips Socio: filme The Hurricane

Filme: The Hurricane (1999)

O filme dirigido por Norman Jewison é um retrato dos infortúnios vividos por Rubin “Hurricane” Carter, um boxeador negro que foi preso por assassinato. Em 1961 ele foi injustamente acusado e recebeu 3 prisões perpétuas, o que gerou várias manifestações que demandam sua liberdade, incluindo a famosa música “Hurricane”, de Bob Dylan. O caso é tido como um dos atos de racismo mais famosos e nefastos da história dos EUA. A obra recebeu várias indicações ao Oscar e Denzel Washington, que viveu o protagonista, foi premiado com o Globo de Ouro de Melhor Ator em Filme Dramático e NAACP Image Award de Melhor Ator no Cinema.

O filme nos apresenta um caso real que espelha uma realidade social que é objeto de estudo da Sociologia: o racismo institucional e o sistema carcerário. Nas sociedades da América, a escravidão baseada na raça criou um sistema de poder que se mantém sob a exclusão do povo afrodescente e afroindígena. Estas relações transpassam todos os aspectos da vida social. Desde a segurança pública até a cristalização dessas práticas nas instituições policiais e jurídicas geram efeitos nefastos dos quais a presunção de culpa dos sujeitos negros é uma delas. O encarceramento em massa, gerado por várias dinâmicas sociojurídicas, nos Estados Unidos ou no Brasil, tem como população principal homens jovens negros.

#multiHlab #midialab #fundaj #thehurricane #filme #cinema #filmespremiados#globodeouro 

Pinktips Aula: canal Tempero Drag

Tempero Drag é um canal do YouTube que aborda um leque vasto de questões das ciências sociais através de aulas-cápsula, performadas pela drag queen Rita von Hunty. Citando obras da sociologia, literatura, antropologia e política, Guilherme Terreri, de 28 anos, encarna Rita, uma persona montada em figurinos vintage inspirados na moda dos anos 1950/1970, abordando temas como: consciência de classe, discurso de ódio e amor na pandemia. 

Guilherme, que é graduado em artes cênicas, pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), e em letras, pela Universidade de São Paulo (USP),  iniciou o canal em 2015 para falar sobre cozinha e receitas  veganas, misturando culinária com humor e comentários esporádicos sobre temas mais densos que, com o passar do tempo, se transformou em um local onde o paulista identificou a potência de Rita para abordar debates acadêmicos nos contextos contemporâneos, com linguagem acessível na internet. Segundo Guilherme, em uma entrevista recente: “Existe um magnetismo ao redor da drag queen. Ela é visivelmente instigante. Desperta interesse e repulsa, que são dois pólos de uma mesma energia”. Para ele, uma drag falando sobre temas intelectuais desperta muito mais a atenção do público, que está acostumado a ver homens brancos heterossexuais fazendo discursos.

Acesse o canal Tempero Drag: https://www.youtube.com/channel/UCZdJE8KpuFm6NRafHTEIC-g  

#multiHlab #midialab #fundaj #cienciassociais #sociologia #dragqueen #ritavonhunty #conscienciadeclasse #discussodeodio 

Pinktips Aula: Sociologia Animada

 O “Sociologia Animada” é um canal no Youtube com vídeos compostos por conteúdos de Sociologia explicados com uso de mapas mentais. É voltado para o  público do ensino médio e para os vestibulandos de plantão. O canal é resultado de projeto de extensão realizado no Instituto Federal do Paraná ( IFPR) – Campus Ivaiporã, e conta com a colaboração dos discentes. 

Os vídeos abordam de questões clássicas da sociologia, a abordagens específicas de pensadores com Karl Max, Webber e Emile Durkheim, além de falar sobre movimenstos sociais como o feminismo.

Vale a pena dar uma olhada nas playlists do canal.

Acesse o conteúdo do Sociologia Animada: https://www.youtube.com/channel/UCugb1YKl4IgY5nM2JO-KVqQ/about

#multiHlab #midialab #fundaj #sociologia #sociologiaanimada #youtube

Pinktips Aula: Dedim de Prosa

Começa hoje as Pinktips Aula, linha de postagens das Pinktips voltada para divulgação de materiais educativos online. 

Na sugestão de hoje, compartilhamos o canal Grupees ( Grupo de Pesquisa, Extensão e Ensino)  do Laboratório em Estudos da Sociologia da Universidade Federal de Juiz de Fora ( Labes UFJF)  que está produzindo uma série de vídeos do YouTube chamada “Dedim de Prosa”. A playlist já conta com duas produções e tem como proposta disponibilizar entrevistas com professores e especialistas para abordar questões clássicas das Ciências Sociais. 

O vídeo mais recente teve como convidada a professora Andréia Silveira de Souza que é filósofa e doutora em Ciências da Religião e que tem pesquisado sobre a Religião e sua implicações na Política, nos espaços públicos, na Educação e no projeto Escola sem Partido. Andréia concedeu uma entrevista sobre uma discussão muito importante para os professores da Educação Básica:  o Fundamentalismo Religioso e a Educação. Para assistir, acesse: https://www.youtube.com/watch?v=wEDdpjdACUg 

Para saber mais sobre a série Dedim de Prosa e o canal de Laboratório de Sociologia da UFJF, acesseo site do Labes UFJF: http://www.ufjf.br/labesgrupees/labes/professoresas/dedim-de-prosa-videos-com-convidados/ 

#multiHlab #midialab #fundaj #sociologia #youtube #entrevista #ciênciassociais

Festival online We Are One

O festival virtual denominado “We Are One: A Global Film Festival” está disponível desde o dia 29 de maio e permanece até 7 de junho do ano de 2020. A iniciativa conta com a curadoria de festivais renomados como os de Cannes, Veneza, Tóquio, Berlim e Nova York. Além do YouTube, o ator Robert de Niro e a Tribeca Enterprises também estão organizando o evento.

Os colaboradores enviam filmes, documentários, entrevistas, musicais e até masterclasses. Os horários das exibições estão disponíveis na página do festival. Acesse na plataforma do YouTube: https://www.youtube.com/WeAreOne e para mais informações, o site do festival se encontra neste endereço: http://www.weareoneglobalfestival.com/ 

Embora o festival seja gratuito, as pessoas que estiverem assistindo poderão fazer doações. O montante levantado pelo festival será destinado ao fundo de solidariedade do coronavírus da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Bons filmes!

#multiHlab #midialab #weareone #festivalweareone #filmes #festivaldecinema #pandemia